Osteoartrose & Alimentação: 6 dicas saudáveis - ojoelhodoi.pt

Osteoartrose & Alimentação: 6 dicas saudáveis

Os alimentos têm superpoderes! Por isso, quando traçar o seu plano de combate à osteoartrose no joelho, não se esqueça de começar por alterar a sua alimentação, incorporando hábitos mais saudáveis e escolhendo alimentos que reduzem a inflamação e a dor no joelho. Tome nota das nossas dicas!

osteoartrose alimentação

Hoje em dia, o doente tem um papel preponderante no seu diagnóstico e tratamento. Isto é, quanto mais cedo procurar aconselhamento médico, mais fácil será tratar, acompanhar e gerir a dor no joelho – uma gestão que poderá ser feita pelo próprio paciente (autogestão ou self management).

Quando traçar o seu plano de combate à osteoartrose no joelho, não se esqueça que no topo da sua lista deverá constar o cuidado com a alimentação. De facto, não existe nenhuma dieta especifica para esta doença, mas, se comer de forma inteligente, poderá notar algumas diferenças no seu bem-estar: além de controlar melhor o seu peso, vai conseguir também reforçar a cartilagem e reduzir a inflamação.

Não precisa de mudar radicalmente a sua dieta. Para ter joelhos (mais) saudáveis, basta seguir estes 6 passos:

  1. Corte nas calorias extra. Se conseguir manter uma cintura fina, os seus joelhos vão agradecer, pois, ao desfazer-se dos quilos que estão a mais, vai também reduzir a pressão nas articulações. Para reduzir as calorias ingeridas diariamente, comece por reduzir as porções, evite alimentos e bebidas açucaradas e dê primazia aos vegetais.
  2. Coma mais fruta e legumes. Muitos destes alimentos contêm antioxidantes, isto é, substâncias que ajudam a reduzir a progressão da doença e protegem as células, conforme já explicámos aqui. Cebolas, maçãs, abacaxi, melão e frutos vermelhos, como o morango, são alguns exemplos que ajudam a reduzir a inflamação das articulações e a dor no joelho.
  3. Acrescente Omega 3. Trata-se de um verdadeiro aliado na redução da dor nas articulações e da rigidez matinal. Sugerimos que consuma duas porções por semana, por isso, considere os peixes gordos no menu semanal. Pode optar, por exemplo, por truta, salmão, cavala, atum ou sardinha.
  4. Escolha o azeite em vez de outras gorduras, uma vez que ajuda a prevenir a inflamação. Diversos estudos indicam que, cerca de 3 ½ colheres de sopa de azeite garantem um efeito equivalente a 200 miligramas de ibuprofeno. Mas cuidado! Essa mesma quantidade de azeite representa 400 calorias. Desta forma, e para não adicionar calorias extra à sua dieta, opte por utilizá-lo como substituto da manteiga / margarina nos seus cozinhados.
  5. Use e abuse da vitamina C. Considerada como um elemento essencial para a saúde das articulações, a vitamina C contribui ativamente para a produção de colagénio e tecido conjuntivo. Para conseguir este nutriente opte, por exemplo, por citrinos, pimentos vermelhos, morangos, brócolos e couves. Recomenda-se o consumo de 75 miligramas por dia no caso das mulheres e de 90 miligramas no caso dos homens.
  6. Tenha cuidado com as altas temperaturas. Carne cozinhada a altas temperaturas gera componentes – advanced glycation end products (AGEs) – responsáveis pela inflamação no seu corpo e muito associadas a doenças como a artrite, doenças cardíacas e diabetes. Poderá reduzir os níveis de AGEs na sua dieta cortando os grelhados, fritos e cozinhados de micro-ondas. Deverá também excluir os alimentos processados uma vez que são, muitas vezes, preparados a altas temperaturas.

As dicas são simples, por isso, melhorar depende apenas da sua vontade! Se tiver curiosidade em saber mais sobre a Alimentação & Doenças Reumáticas, não deixe de ver este artigo. Caso não tenha ideias para a próxima refeição, deixamos também uma receita deliciosa, com salmão e legumes aqui.

Fonte: WebMD

Aviso

Está prestes a deixar um website da Sanofi e a aceder a outro site, onde não se aplica a nossa política de privacidade. A Sanofi não é responsável pelo conteúdo de websites externos.

Voltar Continuar

Pin It on Pinterest

Share This