Factos e Mitos da Osteoartrose: sabe distingui-los?

Nem tudo o que se “sabe” sobre a Osteoartrose é necessariamente correto. É muito importante ter a noção exata das características desta patologia, porque só assim é possível interpretar as indicações que o nosso o corpo nos fornece perante diferentes situações. Conheça bem a doença e conheça-se melhor a si.

Para lá dos factos que a ciência tem como certos e seguros, existem muitos mitos acerca da Osteoartrose a que todos devemos estar atentos. Veja estes 6:

 

A DOR É UM ALERTA

Não é bem assim. A dor que se sente durante a prática de exercício físico não é necessariamente um sinal de danos articulares. O exercício sem dor é algo que provavelmente nem existe quando se inicia a sua prática e ela não deve ser interpretada como um alerta para algo que esteja mal, desde que desapareça nas 24 horas seguintes. Se a dor se prolongar para lá deste período, é natural que tenha exagerado no esforço e isso pode e deve ser corrigido. É fundamental, por isso, conhecer a resposta das suas articulações e a partir daí ajustar a dose, intensidade e duração da atividade. Mantenha a do num nível aceitável e saudável.

O DESCANSO É BOM

Se vai evitar mover-se sempre que sentir dor, é muito provável que venha a perder a mobilidade e as forças necessárias para realizar as suas tarefas diárias. De uma forma natural, o corpo adapta-se progressivamente, quer à atividade, quer à inatividade e isso significa que ao perder força e energia vai consequentemente sentir dor ao mínimo esforço que faça. Mais uma vez, aprenda a reconhecer os sinais e a interpretar a dor, em particular.

A DOR DEVE SER COMBATIDA COM DOR

Em primeiro lugar, há que distinguir, claramente, o que é a dor muscular causada pelo exercício e a dor da Osteoartrose, pois estas são muitos diferentes nas suas origens e implicações. E mesmo a dor que resulta do esforço físico, deve ser interpretada e controlada. Insista e continue a treinar, mas sem excessos.

O EXERCÍCIO CAUSA DANOS À ARTICULAÇÃO

Não há evidências que tal seja verdade e que exista um impacto negativo sobre a cartilagem afetada pela Osteoartrose, designadamente no caso do exercício de intensidade moderada. Claro que o desporto de competição, com treinos intensivos ou diários, pode aumentar o risco de desenvolvimento da Osteoartrose, mas não é isso que se aconselha. Ao contrário, o exercício moderado pode aumentar a qualidade da cartilagem.

O RANGER NAS ARTICULAÇÕES DEVE-SE AO AUMENTO DA CARTILAGEM

Ouvir um ranger não é, por si mesmo, perigoso. As superfícies articulares, ao se friccionarem umas nas outras, podem ranger. Pode acontecer que exista algum problema com a quantidade e qualidade do líquido sinovial ou que a cartilagem articular se tenha tornado numa espécie de “franja” áspera, em vez de uma superfície lisa. Nos casos verdadeiramente graves, como são os de Osteoartrose, aí sim, pode surgir um som abafado de atrito osso contra osso, em vez de cartilagem contra cartilagem, pois esta já não existe.

AS ARTICULAÇÕES DETERIORAM-SE ATÉ SE DESGASTAREM TOTALMENTE

Uma pessoa pode sofrer de Osteoartrose por várias razões e a doença não se manifesta de forma igual para todos. A doença não avança de forma linear e a dor pode surgir em momentos diferentes e com intensidades variáveis. Sabe-se que a doença tem uma evolução mais rápida nos indivíduos obesos e nos que têm músculos mais fracos, mas também existem casos em que ela desaparece por completo e os problemas passam. Não é possível fazer, à partida, um pronóstico exato do que vai acontecer, pois isso depende muito de cada pessoa e das suas respostas.

Fonte (26/02/2021):
https://www.lpcdr.org.pt/nucleos/nucleo-osteoartrose/161-mitos-e-realidade-da-osteoartrose

MAT-PT-2100185 – 1.0 – março 2021

Aviso

Está prestes a deixar um website da Sanofi e a aceder a outro site, onde não se aplica a nossa política de privacidade. A Sanofi não é responsável pelo conteúdo de websites externos.

Voltar Continuar

Pin It on Pinterest

Share This