Tratar a depressão e a ansiedade na osteoartrose

A Osteoartrose pode levar a situações de ansiedade ou depressão. Veja como procurar tratamento e quais as opções disponíveis nestes casos.

A Osteoartrose pode levar a situações de ansiedade ou depressão. Veja como procurar tratamento e quais as opções disponíveis nestes casos.

Um doente com Osteoartrose que se sinta deprimido ou excessivamente ansioso, pode não estar em condições de se tratar devidamente de qualquer um destes problemas. Isto porque a saúde mental, a dor e a incapacidade estão fortemente interligadas, a falta de tratamento de uma destas condições pode ter um impacto negativo sobre outra. Assim, o cuidado com o bem-estar mental deve ser encarado como fundamental na abordagem à Osteoartrose.

Por exemplo, estar em depressão pode significar não ter a vontade ou a energia necessária para fazer exercício, o que levará à perda de funcionalidades. Por outro lado, ter bastante dor e inflamação pode impossibilitar o exercício o que, por sua vez, pode causar depressão ou ansiedade. Eventualmente, este ciclo vicioso pode prejudicar o sono, a atividade diária, a interação social, o empenho no tratamento e no cuidar de si.

ANSIEDADE

Algumas pessoas respondem à doença crónica e ao stress com ansiedade, em vez de depressão. É importante falar com um médico no caso de um destes sintomas se tornarem incontornáveis ou interferirem com a vida diária:
– Preocupação ou obsessão com problemas, sejam eles grandes ou pequenos;
– Ter medo ou pavor de coisas que possam acontecer agora ou no futuro;
– Sentir-se inquieto, no limite ou irritado;
– Ter dificuldades de concentração;
– Preocupar-se com o facto de estar preocupado;
– Não ser capaz de tomar decisões com medo de tomar a decisão errada;
– Ter sintomas físicos como tensão muscular, subida rápida dos batimentos cardíacos, problemas de estômago, tonturas ou uma sensação de calor repentina.

DEPRESSÃO 

Caso se sinta desanimado ou em baixo, por um período superior a 2 ou 3 semanas consecutivas, pode estar clinicamente deprimido. É necessário procurar ajuda médica no caso de se apresentar algum dos seguintes sintomas de depressão:
– Sentir-se em baixo de forma contínua, por 2 semanas ou mais;
– A depressão interferir com os relacionamentos ou o emprego;
– Ter pensamentos sobre magoar-se a si próprio;
– Ter sintomas físicos como dores de cabeça, distúrbios digestivos ou dor crónica não associada com
a Osteoartrose e que não responda a tratamentos de rotina;
– Os sintomas que incluam algum dos seguintes 5: insónias ou sono excessivo; falta ou excesso de apetite; choro frequente e sentimento de tristeza; incapacidade de se concentrar; desinteresse por coisas de que habitualmente se gosta; fatiga; irritabilidade; inquietação ou passar a movimentar-se muito devagar; um sentimento de inutilidade ou culpa profunda.

TRATAMENTO

Em ambos os casos, existem muitos tratamentos disponíveis, da medicação à psicoterapia, do relaxamento profundo à acupuntura. É preciso trabalhar em conjunto. Reumatologistas e especialistas de saúde mental devem trabalhar de forma coordenada no tratamento para se evitarem interações negativas.

PSICOTERAPIA

Na terapia de conversação ou no aconselhamento, um especialista pode ajudar a resolver ambos os problemas. Pode-se optar por vários tratamentos como, por exemplo, a Terapia Cognitivo-Comportamental, Terapia Interpessoal ou Terapia de Resolução de Problemas. A escolha certa depende muito do tipo de sintomas, personalidade do paciente e preferências deste.

MEDICAMENTOS

São vários os medicamentos usados no tratamento, tanto da depressão como da ansiedade. É preciso analisar com o médico os benefícios, riscos, possíveis efeitos secundários e como estes podem interferir com outros medicamentos que já estão a ser tomados.

TERAPIAS COMPLEMENTARES E AUTO-AJUDA

A opção por estilos de vida saudáveis e o recurso à auto-ajuda podem ajudar também no alívio destes sintomas, sobretudos se forem conjugados com a psicoterapia e a medicação. É o caso, por exemplo, da acupuntura, massagem, yoga, atividade física, nutrição saudável, meditação, visualização e grupos de apoio.

Fonte

Acedido a 17/05/2020. Esta página pode ser atualizada e deve ser consultada regularmente para
acesso à informação mais recente.

Aviso

Está prestes a deixar um website da Sanofi e a aceder a outro site, onde não se aplica a nossa política de privacidade. A Sanofi não é responsável pelo conteúdo de websites externos.

Voltar Continuar

Pin It on Pinterest

Share This